Você ainda não conhece o anime Death Note? Confira o que tem perdido

O Japão é conhecido por sua cultura irreverente, com histórias que tratam sobre temas que passam longe das criações ocidentais. Os animes e mangás são os formatos mais populares para se elaborar esses enredos na terra do sol nascente, e Death Note é um dos grandes nomes dessas obras.

Se você ainda não conhece o anime Death Note e quer saber tudo sobre essa produção sem tomar nenhum spoiler, continue a leitura deste post!

 

O caderno da morte

death note

Criado em 2003 por Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata, a primeira edição do mangá que conta a história de Light Yagami foi publicada em 2003 pela editora Shueisha.

A série de revistas em quadrinhos aborda a vida de um brilhante estudante do ensino médio japonês que se pega entediado e de saco cheio de toda a maldade do mundo.

Até que, durante uma de suas aulas, Light observa um estranho caderno negro cair dos céus no pátio do seu colégio. O personagem descobre que esse objeto, embora cheio de regras, diz ter a obscura capacidade de matar aquele que tiver seu nome anotado nele, da maneira que o portador desejar.

Ao duvidar do poder do artefato, o jovem começa a testá-lo em criminosos famosos durante 5 dias, até que o verdadeiro dono do caderno aparece em seu quarto, o shinigami — espécie de deus da morte — Ryuk.

Após essa primeira onda de assassinatos, os feitos de Light começam a atrair a atenção da polícia internacional, e o detetive conhecido como L é introduzido à trama. E é aí que a verdadeira história começa a se desenrolar.

Anime e outras adaptações

A obra de Tsugumi foi muito bem-recebida em todo o oriente, o que possibilitou o lançamento da animação dirigida por Tetsurō Araki em 3 de outubro de 2006. O anime possui 37 episódios, com cerca de 20 minutos cada, e o enredo permanece bastante fiel ao original — embora existam diferenças pequenas em diálogos e outras situações.

O fim da trama, no entanto, sofre uma modificação mais impactante em termos de execução. Contudo, o resultado ainda é o mesmo e os personagens envolvidos têm destinos muito parecidos, o que mantém toda a genialidade da história matriz.

Há também dois OVAs — original video animation —, lançados em 2007 e 2008, igualmente dirigidos por Tetsurō Araki.

Death Note Relight 1: Visions of a God

Essa animação não baseada em um mangá conta a história sob o olhar de Ryuk, o shinigami dono do Death Note que Light usa, o que modifica completamente a narrativa, passando-a para uma escala de poder ainda maior e mostrando como tudo não passa de um jogo para os deuses da morte.

Death Note Relight 2: L's Successors

Sequência direta do OVA anterior, o filme aborda o relacionamento e a construção mais aprofundada de dois personagens da história original que só são introduzidos posteriormente: Near e Mello, detetives e potenciais substitutos do já mencionado L.

Essa animação é importante para quem deseja entender um pouco mais sobre os verdadeiros motivos das ações de ambos na série — o impacto delas é grandioso!

Death Note (Live Action)

A Netflix lançou recentemente um filme Live Action — ou seja, produção com atores reais e que combina elementos de produto original de outra mídia — baseado no mangá e no anime.

Porém, diferentemente da versão matriz, o título se passa nos Estados Unidos e conta com muitas particularidades, o que traz mais um ponto de vista novo ao enredo.

Agora que você já sabe tudo o que precisa — mas, sem spoiler, é claro! — sobre o anime e o mangá Death Note, está na hora de preparar a pipoca, ligar a Netflix e fazer aquela maratona da série.

Se você quer conhecer ainda mais sobre animes, gamesseriados e outros assuntos da cultura pop, não deixe de nos seguir nas redes sociais. Estamos no FacebookYoutube e Instagram.